[IG SAÚDE] Polivitamínicos: você precisa mesmo disso?

Embora tomar polivitamínicos seja necessário em alguns casos, a melhor saída para a maioria continua a ser investir numa alimentação balanceada

Tomar polivitamínicos e outros tipos de suplementos tem se tornado uma prática cada vez mais comum no Brasil, país onde 98% das pessoas não consomem o índice de vitaminas adequado à saúde, segundo levantamento feito em maio de 2018 pela Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres. Mas será que todos esses brasileiros podem tomar esse tipo de medicação?…

Segundo o farmacêutico Jamar Tejada, a alimentação deve continuar a ser a sua fonte primária e constante de vitaminas, deixando esse tipo de suplemento apenas para casos específicos, como pessoas com dietas muito pobres ou que têm problemas de absorção de nutrientes.

Além disso, de acordo com Alan Scaglione, nutricionista da Estima Nutrição e especialista em Suplementação Nutricional Aplicada ao Exercício pela Universidade de São Paulo, é essencial consultar um médico ou nutricionista antes de começar a usar um suplemento contra a falta de vitaminas e minerais.

E se você decidir pular a consulta ao médico e se aventurar sozinho nas gôndolas das farmácias, é preciso tomar cuidado redobrado e sempre respeitar a bula dos polivitamínicos. Afinal, como lembra Jamar, tomá-los em doses excessivas ou sem necessidade pode desencadear um problema chamado  hipervitaminose .  

“Algumas vitaminas tomadas em excesso podem simplesmente ser eliminadas do corpo, mas outras, como a vitamina A e a D, acabam acumulando no organismo”, lembra. Junto com essas duas, as vitaminas K e E também podem se acumular no organismo.

Caso você não tenha nenhuma deficiência grave, a melhor saída é a reeducação alimentar. “Uma dieta rica em vegetais, proteínas e gorduras boas, oferece os micronutrientes em proporções biologicamente equilibradas”, lembra Jamar.

E mesmo que você comece o tratamento, é essencial corrigir a alimentação. Assim, você poderá, se possível, parar de tomar polivitamínicos e consumir a quantia recomendada de vitaminas e minerais sem recorrer a medicamentos e receitas médicas. 

Fonte: Saúde – iG @ https://saude.ig.com.br/2019-10-24/polivitaminico-voce-precisa-mesmo-disso-veja-quem-deve-tomar-e-quais-os-riscos.html

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

[TV GAZETA] Simpósio de Aromaterapia

O farmacêutico Jamar Tejada foi visitar o Simpósio de Aromaterapia e descobrir as novidades da área!

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

[TV APARECIDA] Saiba mais sobre cuidados com fígado

O farmacêutico homeopata Jamar Tejada explica melhor sobre os cuidados com o fígado.

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

[TV APARECIDA] Saiba a importância de ter um intestino saudável!

No Saúde e Fé, Frei Rinaldo Stecanela recebe o farmacêutico naturopata Jamar Tejada para falar sobre os alimentos que ajudam no bom funcionamento do intestino e porque eles são importantes.

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Homeopatia: entenda como ela trabalha para equilibrar seu organismo

Confira essa matéria para o YAHOO

“Aquilo que provoca a doença onde ela não existe, também pode curar a doença onde ela existe”. A frase de Hipócrates, “o pai da medicina”, morto em 370 a.C., é um dos pilares da homeopatia, terapia criada há mais de 200 anos pelo médico alemão Samuel Hahnemann, e que hoje é considerada especialidade médica. De forma simplificada, a homeopatia trabalha pela Lei da Semelhança: o semelhante cura o semelhante. Para que isso aconteça, ela busca promover a autorregulação do organismo.

Homeopatia funciona mesmo?

Apesar de chamada de medicina alternativa, a Homeopatia é uma especialidade médica reconhecida por vários países da Europa, América do Norte e Índia. No Brasil, foi reconhecida como especialidade médica pelo Conselho Federal de Medicina há 34 anos, sendo ainda uma especialidade farmacêutica e médica-veterinária.

Atualmente a homeopatia está integrada na Política Nacional de Práticas Integrativas e Medicinas Complementares para o Sistema Único de Saúde (SUS) e seus medicamentos podem ser encontrados em algumas farmácias do Estado.

O doente, não a doença

“A homeopatia é usada para quem (paciente) e não para o quê (doença). Este paciente apresenta um conjunto de sintomas, em um determinado momento, com algumas características (clima, horário, duração, intensidade, causa, etc.)”, explica o farmacêutico e homeopata Jamar Tejada.

Na homeopatia, pode ocorrer a indicação de remédios diferentes para situações aparentemente semelhantes ou remédios iguais para situações aparentemente diferentes. “Além disso, medicamentos homeopáticos podem ser usados simultaneamente com outros (até alopáticos), quando necessário”, completa.

Quando usar

A homeopatia pode ser indicada para todas as pessoas, independentemente de idade – e até para animais – e praticamente para todos os casos de saúde, já que seu princípio é o reequilíbrio do organismo.

“Muitas pessoas acreditam que homeopatia só terá efeito para crianças, que é uma ciência de fé e que demora muito para causar efeito, o que não é verdade. Quando me perguntam sobre ter fé para causar efeito eu sempre respondo que nunca vi um cachorro, que pode por exemplo fazer uso da homeopatia para cura de enfermidade, rezando!”, diz Jamar.

A homeopatia trabalha por energia quântica, logo quanto mais alterado, desequilibrado estiver um indivíduo, maior o tempo de resposta de cura. “Por isso em crianças se tem uma resposta tão rápida, pois nelas o organismo está bem mais equilibrado do que em um adulto ‘intoxicado’”, completa.

Do que os medicamentos são feitos

O medicamento homeopático pode ser feito de plantas, animais ou minerais. Ele é muito diluído e, desta forma, tende a não fazer mal ao doente. “Além de diluído ele é energizado (sucussionado), daí a questão da energia quântica. Isto quer dizer agitado, batido. Pega-se uma parte do remédio (exemplo: arnica e dilui-se uma parte do remédio em 99 partes de álcool e se (sucussiona) 100 vezes. Este é o 1 CH (Centesimal Hahnemanniana). Pega-se uma parte desta solução e dilui-se em mais 99 partes de álcool, bate-se mais 100 vezes e este é o 2 CH. Assim vai, até chegar o CH que queremos receitar. A isto chamamos potência do remédio. Há outras formas de potências de medicamentos homeopáticos (LM, D, FC, por exemplo), mas todas são preparadas sob o conceito de diluição (ou trituração em lactose) e sucussão (o que é igual a dinamização)”, explica Jamar.

Fake news sobre a homeopatia

O tratamento pela homeopatia é mais longo do que seria o tratamento com remédios convencionais?

“A duração ou a resposta a um tratamento homeopático não é necessariamente mais longo ou mais lento que o alopático. A duração do tratamento homeopático depende do tempo de doença, dos tratamentos realizados anteriormente e da idade do indivíduo, de quão desequilibrado está, como citei antes quanto mais equilibrado o organismo mais próximo da homeostase, mais próximo da resposta da cura.”

Existem doenças que não respondem à homeopatia, logo não podem ser tratadas pela mesma, pois interferem no tratamento alopático?

“Existem doenças que evoluem rápido e que podem causar lesões irreversíveis a órgãos, como cirrose por exemplo. Logo, nesses casos, o tratamento tradicional pode ser complementado com o da homeopatia para obter uma melhora na qualidade de vida do indivíduo. Outro exemplo clássico é no tratamento do câncer, no qual a homeopatia como tratamento paralelo serve para amenizar os efeitos colaterais da quimioterapia. Lembrando que a homeopatia não interfere no medicamento alopático pois trabalha a ‘questão energética’ da enfermidade”.

Para a homeopatia, as doenças somente surgem quando há um desequilíbrio emocional?

“Segundo a homeopatia o desequilíbrio emocional pode provocar doenças, mas nem sempre é o causador de uma enfermidade.”

Cuide do seu vidrinho

Se rendeu à homeopatia? Veja as dicas do farmacêutico e homeopata Jamar Tejada para garantir a eficácia do tratamento.

1 – O local adequado para guardar o medicamento deve ser protegido de poeira, luz, umidade e calor; protegido de cheiros fortes (cânfora – antídoto homeopático);

2 – Mantenha o recipiente distante de aparelhos que emitam radiações (microondas, geladeiras, computadores, eletrodomésticos, celulares, raios X, detectores de metais em bancos e aeroportos) porque já que agem energeticamente, essas radiações podem alterar o medicamento.

3 – Ao tomar o medicamento evite o contato direto com as mãos. Em caso de glóbulos ou pastilhas, ponha a dose adequada na tampinha do vidro ou colher plástica e vire na boca. 4 4 – Em caso de líquidos, tome longe das refeições – ao deitar ou em jejum de pelo menos 1 hora antes e depois do remédio. Você deve evitar gostos fortes na boca (pasta de dentes, balas mentoladas, cigarros, café, bebidas) ao ingerir o medicamento e 15 a 30 minutos antes e depois de tomar o medicamento.

5 – Aguarde 15 a 30 minutos entre a tomada de dois medicamentos homeopáticos.

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

[Bem Da Terra] Produtos naturais para o cabelo e unhas!

A partir de 17:59 minutos. o farmacêutico e homeopata Jamar Tejada listou 5 elementos que todo mundo tem em casa e criou receitas caseiras com ativos naturais que podem ser suficientes para ajudar a crescer, fortalecer e melhorar a aparência de cabelos e unhas.

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Dicas caseiras para hidratar a pele e o cabelo

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Produtos Naturais que ajudam a crescer cabelos e unhas

O crescimento dos fios “estagnou” ou as unhas começaram a quebrar? Então talvez você precise tomar alguns cuidados mais específicos para se manter saudável que vão além das mudanças de estilo de vida que já são tão indicadas. Existem receitas caseiras com ativos naturais que podem ser suficientes para ajudar, por exemplo, a crescer cabelos e unhas.


Além de serem mais baratos do que  cosméticos industrializados , os ingredientes naturais são fáceis de incluir em uma rotina de beleza. Apesar das máscaras que ajudam a crescer cabelos e unhas demandarem um pouco mais de tempo – já que você precisará prepará-las -, a indicação de especialistas é usá-las apenas uma vez por semana e por um determinado período de tempo.

Por causa disso, você não precisa se preocupa em fazer uma receita e usá-la todas as vezes que for lavar os cabelos ou fazer as unhas . 

Além disso, os produtos naturais não tem contraindicação. “Sempre será conveniente fazer um teste em alguma área da pele para descartar alergias, principalmente no caso de óleos que contenham agentes químicos mais concentrados, mas, no geral, seu uso não representa um risco para a saúde”, diz o farmacêutico homeopata Jamar Tejada. 

O profissional indicou cinco ingredientes naturais que podem ser usados; confira: 

1-Azeite de Oliva: Segundo o profissional, o azeite de oliva extravirgem possui alto teor de ácidos graxos essenciais e vitamina E, um antioxidante importante para ajudar no crescimento dos fios. “Esses ativos o transformam em um hidratante e reconstituinte natural, além disso o hidroxitirosol é uma das substâncias que se encontra no mesmo que atua anti-envelhecimento”, diz.

Para usar nos cabelos você pode, massagear o couro cabeludo com uma colher de sopa de azeite de oliva morno, deixando agir por 30 minutos. Enxágue com shampoo infantil , que possui uma formulação mais suave do que os produtos de adulto. 

O igrediente também pode ser usado nas unhas e na pele. Com uma pequena quantidade de azeite de oliva diretamente no corpo ou nas unhas, quantas vezes quiser durante a semana. Você também pode misturá-lo a uma colher de sopa a uma loção hidratante de sua escolha, usando após o banho para ter melhores resultados. 

2- Abacate:

Os ácidos graxos do abacate hidratam a pele seca e aceleram a recuperação das cicatrizes, manchas e irritações na pele, mas também ajudam a manter a estrutura do cabelo sempre maleável, nutrida e forte. Além disso, a fruta é ainda rica em proteínas, vitaminas A, C e E, ácido fólico, potássio e água, o que deixa os fios hidratados. 

Seja para usar na pele, cabelos e unhas, a receita indicada por Jamar é a mesma: triturar a polpa de um abacate maduro e usá-la-a como máscara sobre o rosto, pescoço, colo e cabelos úmidos. Enxágue bem com água morna e repita a aplicação até três vezes por semana.

“Você pode adicionar de 10 a 20 gotas de óleo de semente de uva, rosa mosqueta, calêndula, coco e/ou copaíba para melhores resultados. A mesma mistura pode ser aplicada sobre as unhas e cutículas para hidratação profunda”, recomenda. 

3-Chá Verde:

Rico em flavonoides, esse princípio ativo contido no chá verde melhoram o fluxo sanguíneo e facilita o transporte de oxigênio e nutrientes, o que ajuda os cabelos a crescerem mais rápido, reduz a queda de cabelo e fortalece os fios. Nas unhas, os benefícios são semelhantes. 

Nos cabelos oleosos e unhas desidratadas, o uso é bem vindo. Basta misturar dois saquinhos de fazer um chá e usar como um último enxágue após lavar o cabelo, como uma máscara por cerca de 30 minutos ou deixar secar naturalmente no couro cabeludo, lavando apenas depois.  

Misture o conteúdo de dois saquinhos de chá verde com uma colher de sopa de mel e um pote de iogurte integral para melhor resultado no cabelo. Já para as unhas, adicionar seis gotas de óleo de oleo de copaíba, melaleuca e/ou oleo de cravo em uma xícara de chá verde. Deixe as unhas de molho durante 15 minutos e use até três vezes por semana.

4- Óleo de coco:

Rico em ácidos graxos e antioxidantes que atuam como hidratantes e reparadores naturais, o óleo de coco é um dos produtos naturais mais utilizados para cuidar da beleza. Sua aplicação na pele pode prevenir e tratar condições como acne, celulite, psoríase, dermatite de contato, foliculite, eczema entre outras.

Para os cabelos, esquente duas colheres de sopa de óleo de coco e esfregue por todo o couro cabeludo. “Enxágue na manhã seguinte e repita o uso a cada três dias, você estará não so hidratando seu couro cabeludo como livrando de fungos e outros microorganismos que provocam caspa, seborreia e queda”, explica o farmacêutico. 

Já nas unhas, basta usar uma pequena quantidade de óleo para massagear as mãos e as unhas todas as noites antes de dormir.

5- Vinagre de Maçã:

Com propriedades antissépticas, antibacterianas, anti-inflamatórias e rejuvenescedoras, por causa de alfa hidroxiácidoso, o  vinagre de maçã  ajuda a pode deter o crescimento de germes e leveduras nos cabelos e unhas. Além disso, ele é indicado para equilibrar o pH natural e fazer uma limpeza profunda, selando as cutículas capilares. 

Misturar uma parte de vinagre de maçã orgânico com três de água e use como enxaguante depois do shampoo pode trazer benefícios para os fios. Com as unhas, é só deixá-las de molho durante 10 minutos em uma solução de vinagre de maçã e água. Depois, seque bem. Seu uso ajuda a mantê-las fortes e livres de agentes microbianos e fungos.

Além de ajudar a crescer cabelos e unhas, o ingrediente também pode ser usado três vezes por semana na pele para prevenir espinhas e combater a oleosidade. A dica do especialista é misturar partes iguais de vinagre de sidra de maçã com água e esfregue com algodão no rosto.

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

[TV APARECIDA] Saiba tudo sobre compulsão por doces

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

"Farmácia natural": 7 ervas para cultivar em casa que reduzem tipos de mal-estar

Coentro, alecrim e erva-cidreira, por exemplo, ajudam a aliviar dores, má digestão e insônia. Cultivar essas ervas em casa é fácil e econômico

A rotina do dia a dia pode provocar algumas sensações de mal-estar, como dores de cabeça, insônia, má digestão entre outros. Uma solução proposta pelo farmacêutico homeopata Jamar Tejada é cultivar uma simples farmácia com ervas em casa ou no apartamento.

As ervas podem ser plantadas com facilidade e praticidade, além de proporcionarem um resultado natural e orgânico para mal-estar e os incômodos cotidianos. O farmacêutico explica que elas promovem o relaxamento da mente e são mais econômicas do que gastar com remédios, por exemplo. Veja abaixo algumas ervas para plantar:

1- Coentro:

O coentro é indicado para alívio de dores nas articulações e reumatismos. Jamar revela que é melhor plantar coentro durante a primavera e, antes de semear, é importante lavar as sementes com água e sabão e deixa-las secando ao ar livre. Após a secagem, elas devem ser plantadas em pleno sol, com três centímetros de distância e 1,5 centímetros de profundidade.
As sementes começam a brotar entre sete e dez dias após o período em que foram plantadas, e as folhas já podem ser colhidas.

2- Salsinha:

Tratamento de retenção de líquidos, inchaços, infecção urinária e pedras nos rins são alguns dos benefícios proporcionados pela salsinha.
Para plantá-la, é necessário apenas espalhar as sementes pela terra de maneira uniforme e, logo depois, colocar de 1 a 2 centímetros de terra por cima.

3- Sálvia:

A sálvia é recomendada para o alívio de cólicas menstruais, resfriados, garganta inflamada e tosse. Em relação ao modo de plantar, o farmacêutico relata que as sementes da sálvia devem ser plantadas a, aproximadamente, um centímetro de profundidade. A germinação acontece em duas ou três semanas.
Jamar diz que a erva se desenvolve melhor em ambientes com temperatura amena, mas deve receber luz solar direta durante algumas horas todos os dias.

4- Calêndula:

Famosa pela ação adstringente, analgésica e anti-inflamatória no tratamento de queimaduras, a calêndula é indicada pelo farmacêutico para cultivo em vaso ou jardineiras. Sendo assim, é preciso misturar parte da terra comum de jardim com terra vegetal e duas partes de composto orgânico. Regar frequentemente é fundamental, pois a composição deve se manter úmida.

5- Alecrim:

O alecrim colabora na digestão dos alimentos e pode ser cultivado por meio de sementes ou por estaquia (plantio de pequenas estacas de caule, raízes ou folhas). As sementes podem ficar em sementeiras, vasos pequenos ou outros recipientes.
A germinação, alerta Jamar, pode ser demorada, e as plantas devem levar até três anos para serem completamente desenvolvidas. As mudas de alecrim, em geral, são transplantadas quando têm de 15 a 20 centímetros de altura.

6- Capim Limão:

Capim limão age como antibacteriano e expectorante, ou seja, colabora com a remoção das impurezas do ar respirado. Para plantar, é feita a retirada de mudas de plantas. Ele pode ser facilmente cultivado em vasos grandes, com pelo menos 30 centímetros de diâmetro.

7- Melissa:

A Melissa, nome científico para erva-cidreira, ajuda no combate à insônia e distúrbios do sono. É uma boa alternativa para ser plantada em áreas de sombra com varanda desde que a luminosidade seja relativamente grande. Esse é um dos tipos de ervas que é importante não regar muito e fazer boa drenagem no vaso.

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp