Longevidade: ‘Ainda há tempo!’

Confira na integra da Entrevista da Revista  VIDA LONGA & SAUDÁVEL.

Sem título

A NATUREZA É SÁBIA: CADA COMPONENTE NO NOSSO CORPO TEM SUAS FUNÇÕES DETERMINADAS E, SALVO EXCEÇÕES, FAZEM UM SISTEMA COMPLEXO COMO O ORGANISMO HUMANO FUNCIONAR CORRETAMENTE.

Entretanto, com o passar da idade, o envelhecimento celular tende a acelerar o que é comum a todos nós: a morte. Ganhar dela – e do tempo – não é a intenção, ainda, da ciência, porém, é possível desacelerar tanto o envelhecimento, quanto o fim iminente. “Levar uma vida saudável, com atividade física regular e dieta balanceada, faz diferença na construção dos hábitos que nos levam à longevidade”, destaca o especialista em medicina esportiva Ricardo Nahas. Ou seja, para que seus anos extras de vida sejam acompanhados de bem-estar, que tal começar já?

“A ciência não luta apenas para vivermos mais, mas para que vivamos mais com maior qualidade de vida”, comenta o farmacêutico Jamar Tejard.

ACERTANDO OS PONTEIROS:
Começamos a envelhecer no momento que nascemos, embora não olhemos dessa forma até chegar à 3ª idade. “Nosso organismo atravessa um processo de oxidação constante, causado naturalmente pelos radicais livres, os elétrons livres presentes na molécula de oxigênio em nosso corpo”, destaca o farmacêutico Jamar Tejard. Esses radicais livres são essenciais para o equilíbrio fisiológico, porém quando estão em demasia, a história se complica: “em excesso, causam o estresse oxidativo. As células vão, pouco a pouco, sendo danificadas por esses radicais, ou seja, o estresse oxidativo causa envelhecimento precoce em virtude da morte das células”, completa o farmacêutico. A falta de antioxidantes e exposição à poluição, radiação, tabagismo, consumo de álcool em excesso e maus hábitos alimentares são favoráveis ao aumento desses elementos no organismo. Isso significa que é possível minimizar os efeitos do envelhecimento, principalmente pela ação dos radicais livres, sem que isso dependa da genética e do meio ambiente, mas por cuidados diários com a saúde.

O MOMENTO É AGORA.
Dicas do profissional Ricardo Nahas para uma vida longa e saudável:

Seja ativo: isso significa subir um ou dois andares de escada, ir à padaria a pé, carregar as compras do supermercado por dois ou três quarteirões, ou seja, movimentar-se durante o dia.

Faça atividade física regular e programada: exercícios físicos são importantes desde a infância. Tudo o que se constrói até os 18/20 anos de positivo, vai ajudar o indivíduo na terceira idade. Isso tem um impacto relevante na redução da osteoporose e na manutenção do aparelho locomotor, pois promove um estoque ósseo adequado para uma boa qualidade de vida.

Mantenha uma dieta saudável: cada um deve adequar os alimentos e sua quantidade ao seu biótipo. Uma pessoa de 70kg cujo metabolismo basal (básico) é de 2 mil kcal por dia, por exemplo, não pode ingerir mais do que isso, para evitar obesidade, colesterol elevado, doenças coronarianas, entre outras enfermidades.

Beba de 1 a 2 litros de água diariamente: a quantidade depende do biótipo de cada um, mas a ingestão adequada de água mantém os rins e os demais órgãos do aparelho excretor funcionando corretamente e tem influência positiva direta em todo o organismo.

Evite situações de estresse: isso implica uma melhor qualidade de vida e menos desgaste do organismo como um todo.

Mantenha-se mentalmente ativo: para garantir a saúde da memória na terceira idade é fundamental que considere, constantemente, novos desafios como, por exemplo, trabalhar com computadores, utilizar novas mídias, ler, aprender novas línguas, participar de grupos de discussão de filmes e livros. Esses hábitos ativam a memória e a cognição.

Consulte regularmente um médico: é importante checar a saúde a cada ano (ou a cada seis meses em caso de doença crônica), para que haja acompanhamento e diagnósticos precoces.

“Pagamos pelo que fomos e pelo que somos. Infância e adolescência saudável remetem a um adulto saudável”, destaca Ricardo

Outros fatores que atrapalham a longevidade:

Processo inflamatório: Assim como os radicais livres são essenciais, esse processo também é normal e positivo dentro do corpo e nos ajuda no reparo de tecidos e no combate de infecções. Entretanto, quando exposto a fatores desequilibrantes como cigarro, sedentarismo, obesidade, ingestão de alimentos e bebidas de baixa qualidade, com gorduras consideradas ruins, excesso de açúcares e conservantes, entre outros, o processo inflamatório pode tornar-se crônico e não cessar naturalmente.

Baixa imunidade: Indispensável na prevenção de doenças, quando o sistema imunológico está fragilizado, afeta também o indivíduo. Por isso deve-se atentar não só a higiene, mas a hábitos como uma alimentação adequada e exercícios físicos regulares.

CONSULTORIA Jamar Tejard, farmacêutico e proprietário da farmácia de manipulação Anjo da Guarda; Ricardo Nahas, especialista em Medicina Esportiva e palestrante do Fórum Bem-Estar do Programa Mais Saúde, da Funcesp FOTO iStock/Getty Images
Texto:JÉSSICA FRABETTI Design RAFAELLA BORTOLAN/COLABORADORA