Bayer entrevista: como ter um empreendimento farmacêutico de sucesso

COMO-TER-UM-EMPREENDIMENTO-FARMACÊUTICO-DE-SUCESSO

Estamos em uma época em que o acesso ao produto estrangeiro é cada vez mais facilitado. Sempre que escuto alguém falando em viagem, o pedido de encomenda ao amigo que outrora era um perfume, bebida ou eletrônico, passou a ser um suplemento alimentar ou medicamento não encontrado facilmente aqui, sem falar o acesso aos sites que entregam o importado na porta de sua casa. Essa busca pela novidade mostra que as pessoas estão cada vez mais preocupadas e “antenadas” com sua saúde e qualidade de vida. Pensando nisso, quem se atreve no ramo de farmácia deve ter em mente dois fatores decisivos para o sucesso: qualidade e inovação.

Para a maioria das pessoas a questão qualidade esta intrínseca na compra de qualquer manipulado, assim como qualquer produto industrializado, o que não é uma verdade. Embora exista uma forte vigilância dos estabelecimentos comerciais e da própria indústria farmacêutica é sabido pelos que trabalham no setor que há muitas falhas no meio, devendo o consumidor estar sempre atento ao que busca, seja vendo a bula ou exigindo laudos, o que não é comum, mas deveria ser de acesso a todos.

Este é um nicho de mercado que os atuantes poderiam explorar, ensinando o consumidor a questionar a qualidade do que se compra, pois como todos acham que os estabelecimentos tem qualidade, a única pesquisa realizada é, infelizmente, a do preço. O profissional que não investe em qualificação terá, certamente, o menor preço. Se existisse uma busca mais apurada pela qualidade os estabelecimentos que trabalham de forma correta conquistariam um cliente por toda sua história de credibilidade no mercado, não apenas pelo menor preço.

Outro ponto crucial para o sucesso de um negócio farmacêutico é conseguir perceber a falha no mercado, onde há maior demanda de consumo e o que tende a crescer na área. É muito importante em um mercado tão competitivo essa caracterização da marca, e, principalmente, o reconhecimento no mercado como uma marca inovadora.

A setorização é com certeza o passo certo para um empreendimento de sucesso, cabe a cada novo empreendedor descobrir o seu meio e escolher como trabalhar e inovar no setor farmacêutico que escolheu e, acima de tudo, se identifica e ama.

Vista a sua própria camisa, garanta a qualidade do seu negócio e mantenha o foco na inovação, trabalhando assim para que sua marca seja referência de mercado e que seu principal desafio profissional seja superar sempre seu maior concorrente: você mesmo!

Confira a matéria na integra: http://www.universofarmaceutico.com.br/atualizacao-farmaceutica/Detalhe.aspx?ID=113#apresentação

Bayer entrevista: obrigatoriedade de bula em medicamentos manipulados

O Universo Farmacêutico conversou com o farmacêutico Jamar Tejada, proprietário e farmacêutico responsável pela Anjo da Guarda Farmácia de Manipulação e Homeopatia, graduado em Farmácia e Bioquímica pela ULBRA, pós-graduado em Ciências Homeopáticas pela FACIS/IBEHE, em Formação de Dirigentes Industriais com Ênfase em Qualidade Total e Engenharia de Produção pela UFRGS, em Gestão de Comunicação Estratégica Organizacional e Relações Públicas pela USP e em Gestão em Comunicação com o Mercado pela ESPM, sobre a obrigatoriedade da bula para medicamentos manipulados no estado do Paraná, os avanços que a nova lei traria para o comércio de medicamentos, a personalização da bula para o tratamento de pacientes, além da importância da existência de regras para que a obrigatoriedade seja implantada em âmbito nacional.

obrigatoriedade-de-bula-em-medicamentos

1- Por que, se os medicamentos manipulados oferecem os mesmo riscos de consumo indevido e possíveis reações adversas que os medicamentos comumente vendidos nas farmácias, só agora a obrigatoriedade da bula está se tornando realidade?
Acredito que só agora a obrigatoriedade foi colocada em prática por exigência da própria população e também pelos inúmeros erros que temos visto na mídia, causados por profissionais e farmácias que desclassificam e desvalorizam o setor.

2- A ausência da obrigatoriedade nacional das bulas para manipulados, até o presente momento, se deve ao fato de que estas devem ser personalizadas ao uso de cada paciente ao se comparar às bulas dos medicamentos produzidos em larga escala? Essa personalização seria um ponto positivo para o tratamento do paciente?
Sempre digo que cada indivíduo é um universo em particular, cada pessoa responde a um tratamento de uma forma, portanto a importância dessa personalização e, obviamente, de um profissional da saúde que esteja disposto a realizar esse atendimento de forma especial é essencial.

3- Que avanços a obrigatoriedade da bula no Paraná trazem para o cenário do comércio de medicamentos no Brasil?
Acho que não há como escapar dessa obrigatoriedade, já que a meta é um futuro de qualidade na área da saúde. Pode-se dizer que o Paraná, como pioneiro, servirá de exemplo e como estado de experimentação, visto que esta exigência é um passo muito grande e um tanto novo para nós farmacêuticos.

4- Há um modelo específico de conteúdo e design para as bulas dos medicamentos manipulados? Quais são as informações obrigatórias?
Não há um modelo específico até o momento, ficando em aberto o mesmo para cada farmácia de manipulação, mas as seguintes informações devem constar: identificação do paciente e do fabricante, telefone do serviço de atendimento ao consumidor (SAC) do fabricante de origem, como usar o medicamento, cuidados necessários durante a gravidez e o período de amamentação, o que fazer caso a pessoa se esqueça de tomar o medicamento, onde e como guardar o medicamento, o que fazer em caso de acidentes, além de outras frases de advertência e informações sobre reações indesejáveis e contraindicações que o farmacêutico achar necessárias.

5- Em um curto espaço de tempo é possível que a obrigatoriedade seja válida para todo o território nacional?
Esses processos exigem uma atenção especial, além de tempo para a adaptação da farmácia, se não for feito de maneira correta e com a devida orientação pelos órgãos competentes, pode acabar confundindo o paciente. Por isso, apesar de ser uma obrigatoriedade que pode ser inserida em âmbito nacional rapidamente, deve-se antes de tudo existirem regras bem estabelecidas para que esta mudança venha a ser realmente positiva.

Confira a entrevista na integra: http://www.universofarmaceutico.com.br/faq/detalhe.aspx?ID=111

Homeopatia: entenda como funciona

No programa Gente que Fala dessa semana eu falei sobre homeopatia mas você vai ficar por dentro de redução de estômago, processo da dor e circulação, uma verdadeira aula dada pelos melhores! Confira!

Cuidados e dicas caseiras para sua pele nesse verão

Você sabia que dentro da sua geladeira e armário da cozinha pode estar a solução para manchas e o aspecto envelhecido da sua pele? Assista o vídeo da entrevista para o programa Você Bonita da TV Gazeta. Dicas simples e rápidas para uma pele mais jovem e sempre saudável.

Retardando o envelhecimento!

Antes de pensar em procurar um cirurgião plástico se informe com profissional se não há maneiras mais simples de retardar o envelhecimento, entenda esse processo e aprenda a forma ideal de usar cremes e filtros solares comigo, acessando o vídeo abaixo.

Super dicas para quem quer envelhecer bem!

Anti-envelhecimento, qualidade de vida, cosméticos, homeopatia, chás, automedicação e muito mais! Confira as minhas dicas na entrevista realizada comigo no programa GENTE QUE FALA com a jornalista Liliane Ventura!