Das coisas de ser gaúcho

Tomando um chimas com vista para o rio Guaíba, Rio Grande do Sul
Tomando um chimas com vista para o rio Guaíba, Rio Grande do Sul

 
Ser gaúcho
É ter que acordar cedo, mesmo que seja domingo, pra tomar café junto com o pai, com a mãe. Levanta “o lagartiXa”!
Café da manhã é cacetinho com chimia, almoço é churrasco e” janta“ é carreteiro, barulho de prato não é comida vivente!
É tomar banho com água “peleando” de quente;
É sair do banho com frio de renguear cusco reclamando: ”A La putcha tchê!”
Quando vê que a prosa vai ser longa vem a pergunta: “Me acompanhas num chimas tchê!?”
Chimarrão é mais que uma bebida quente, é remédio, é conversa, é poesia;
É tomar as tuas dores falando: “Mas bah tchê! Que barbaridade! E pra concordar que a pessoa agiu errado contigo: “Baita grosso!”
É saber a diferença entre um lambari e um girino;
É ser tri arriado;
É nunca se miXar diante dos problemas da vida, porque gaúcho não se azucrina!
É gavar ao invés de elogiar;
É não te provocar, é inticar;
É te ofender dizendo que tu não presta nem pra benzer tormenta!
É se exibir dizendo que tem BANRICOMPRAS;
Zaffari é o melhor e maior “shopping” do mundo, talvez perca pro DC Navegantes ;
A mulher gaúcha sempre vai ser a mulher mais linda do planeta e Gisele Bundchen nem é o exemplo, o exemplo é Ieda Maria Vargas, “o pai que vem com essas”;
Ainda das mulheres gaúchas, ela pode fazer sucesso lá fora como modelo, mas gata mesmo é a que venceu o Garota Verão, tem cada “alemoa-polenteira” ;
Toda família gaúcha tem uma tia-avó inconveniente que está presente em todo almoço e jantar realizado na tua casa, é a tia que não tem paciência pra te ouvir, ela corta o teu “papo” porque sempre tem um “causo” mais curioso da comadre que você nem imagina quem seja;
Esta mesma “tia avó” vai perguntar se tu estás doente depois que tu lutastes meses contra a balança e vai te chamar de “pau de vira tripa” e diz pra tua outra tia que tu “tá que é um risco e fedor”
É ter que dar um “para-te-quieto” em quem não acha que Porto Alegre é capital mundial;
É ficar “de cara” porque soube que os vizinhos se separaram depois de todo mundo;
É se programar pra passar o feriado em Imbé ou Tramandaí, mesmo a praia sendo duas horas de casa;
É pegar a Freeway reclamando do movimento, sempre o pior que já pegou, mas sempre elogiando o quanto a pista tá ótima;
É levar a família toda pra praia, as “tia” e os “tio”, os “primo” e as “prima” que vem de Bagé, de Caxias e de Esteio, quando “junta” toda a turma você não sabe se tão se matando ou se divertindo porque é uma mistura de grito com sorriso que só a gauchada sabe fazer bem;
Alpargata e bombacha nunca vão sair de moda, mas moda boa é quando é à moda bicho;
O hino do Rio Grande do Sul é ensinado antes que o nacional;
Tchê! Mas que lezera! Vou parando por aqui esta prosa e como gaúcho que sou que não baixo o facho, digo que ser gaúcho não é só ter nascido com muita sorte, ser gaúcho é destino.
Mas bah tchê! Não nasceste gaúcho? Então guri de merda te some da minha frente! Tu tá lascado!
Tô brincando, é só pra inticar contigo!