Enxaqueca? O farmacêutico Jamar Tejada dá as dicas para acabar com sua dor

Na última quarta-feira (4), a apresentadora Maísa Silva comoveu os fãs com uma postagem nas suas redes sociais. A jovem postou uma foto com os olhos marejados de lágrimas por causa de uma crise de enxaqueca. Em poucos minutos, ela recebeu um turbilhão de mensagens de apoio e dicas de tratamento, de remédios caseiros à antidepressivos. Mas o que causa e como a enxaqueca pode ser tratada? O R7 conversou com alguns profissionais, veja a seguir o que eles disseram:

É importante dizer que enxaqueca é uma doença crônica, uma dor de cabeça intensa, que afeta 324 milhões de pessoas no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. É três vezes mais comum em mulheres e pode durar de 4 horas a 3 ou 4 dias. Ela pode ser desencadeada por uma série de sintomas que vão desde alimentação até noites mal dormidas, estresse, bebidas, luz e ar condicionado.

Um dos principais problemas que envolvem a enxaqueca é a automedicação. O farmacêutico e homeopata Jamar Tejada Dziedzinski explica que analgésicos como o ácido acetilsalicílico (AAS), ibuprofeno, diclofenac, e paracetamol podem ter efeito contrário. “Se forem tomados de vez em quando, cumprem o papel, mas quando tomados com frequência maior do que quatro vezes ao mês, ao invés de curar, podem ser causadores de dor de cabeça”, explica Dziedzinski. Além disso, os ergotamínicos, analgésicos específicos para enxaqueca, podem levar a uma intoxicação, se usados exageradamente.

Para quem pretende diminuir o uso de analgésicos, o farmacêutico dá uma dica: os nutracêuticos. São medicamentos produzidos a partir da concentração de nutrientes encontrados nos alimentos. Eles podem ajudar a reduzir a frequência e a intensidade das crises de enxaqueca e são mais seguros “já que possuem menos toxicidade do que os analgésicos habituais”, explica Dziedzinski.

Os nutracêuticos mais usados para combater a enxaqueca são aqueles feitos à base de vitamina B2, a coenzima Q10, uma molécula produzida pelo organismo, também presente na carne bovina, sardinha, espinafre e amendoim, o ginkgolídeo B, que é retirado da planta ginkgo biloba, e o magnésio, mineral encontrado em cereais integrais, espinafre, nozes, frutas, legumes e tubérculos, como a batata

Outra dica é a homeopatia, mas o farmacêutico destaca que é importante procurar um profissional de saúde habilitado que conheça essas terapias. “A automedicação é a pior escolha, se forem diagnosticadas e tratadas a tempo muitas dores de cabeça, inclusive a enxaqueca, têm cura”, destaca Dziedzinski