Aprenda a desenhar um maldito elefante

Elefante
Minha cabeça sempre foi um tanto diferente, via coisas onde os outros não viam. Acredite, lembro quando ainda estava no maternal com 3, 4 anos de idade, na escolinha da Tia Manina e a tia Cláudia, minha professora, mandou desenhar um elefante e eu não tinha mínima idéia de como o fazer.
Sempre fui perfeccionista, ou o meu elefante seria o melhor ou preferia não ter aparecido naquele dia de aula. Procurei na sala a menina gordinha que era a que melhor desenhava e vi que o elefante dela realmente era lindo, pedi pra que desenhasse o meu, ela disse que só depois que acabasse o dela. Fiquei ali ao lado, esperando, ansioso. Ela pintava e pintava e pintava o maldito elefante dela e nada do meu. Chorei de pavor, porque sabia que meu tempo estava esgotando e eu ali com a folha em branco, mais branco que a folha era o meu pavor por ser o único da sala a não saber desenhar um elefante.
Muitos “coleguinhas” queriam dar o seu desenho para mim, mas eram elefantes medonhos, uns riscos marrons, uns riscos pretos, não era o elefante que eu queria, queria o elefante como o da maldita gordinha, um elefante colorido, cheio de vida.
Acabou-se o tempo e os desenhos deviam ser entregues. Entreguei um borrão preto na folha branca. Minutos depois, tia Cláudia me chama: “-Jamar o que foi que desenhaste?”.
Eu disse: “Não esta vendo? É uma formiga!”
Tia Cláudia: “Mas eu pedi pra desenhar um elefante!”
Respondi:”Será que você não entendeu?! O elefante estava aí, passou por cima da formiga, esmagou e foi embora!”
Pra tudo nessa vida se tem uma solução, às vezes tratamos o problema com o tamanho de um elefante e mediante o medo de tomarmos uma postura acabamos petrificados e esquecendo que a solução pode ser mais simples. Sempre faça tudo tentando ser o melhor, ouse, arrisque, tente de tudo, peça ajuda pro vizino, pra vizinha, abuse seu charme.
Fez de tudo? Não soube desenhar o maldito elefante? Então corra! Não tenha vergonha, se não estiver pronto pra hora do problema, saber fugir pode ser a solução mais sábia. Mas se é pra fugir é pra se refugiar, reestruturar-se, aprender a usar os seus lápis de cor e aí sim tentar denovo. As dificuldades de vida sempre são a melhor escola. Até fugindo estamos crescendo. Só não vale nessa vida tentar de qualquer jeito.