fígado

Não faça do seu fígado um foie gras! Desintoxique-se! Uh la la!

\SIR-DUKEUsersclientescontento�042R-reserva-espacoguia2012-12web

Entre todos os problemas em relação a saúde, o excesso de toxinas poderia ser o maior, mas eu destaco um que consegue ser ainda pior: a maldita gordura no fígado! Gordura no fígado só se for no ganso ou no pato, o sofisticado foie gras( fígado gorduroso), mas infelizmente tem muita gente por aí com fígado pior do que estes penosos , só nos Estados unidos mais de 20% da população é afetado por esse mal.

Muitas pessoas acham que estão intoxicadas por causa das toxinas encontradas nos alimentos mas não podemos esquecer que o fígado é o maior responsável pela limpeza destas. Lembro de uma aula de fisiologia onde aprendi um termo chamado “SISTEMA MICROSSOMAL HEPÁTICO”, nunca mais esqueci, achava o máximo dizer que sabia pronunciar e principalmente entender o que era este tal sistema, simplificando este sistema é o responsável pela limpeza e metabolização do nosso organismo e obviamente ocorre dentro do hepatócito (célula do fígado). Quanto maiores as complicações nesse órgão, que deveria ser chamado coração, já que é o maior responsável pela “distribuição de vida” no nosso corpo, maior a dificuldade para processar qualquer tipo de toxina.

Quando se fala em fígado gorduroso, muita gente diz: “Mas eu não sou alcoólatra!”, o álcool certamente também é um dos culpados, mas a maior causa é a toxina mais abundante na nossa alimentação: o maldito e saboroso açúcar, um doce veneno!

A ingestão de açúcar, de carboidratos refinados e de xarope de milho com alto teor de frutose aumenta os níveis de insulina e a resistência a este hormônio, que leva a um acúmulo de gordura nos hepatócitos. Oh dó!

Para entender este funcionamento: o açúcar transforma-se em triglicerídeos (gordura no fígado) que acaba invadindo as células desse órgão e dos demais também, sendo que as calorias em excesso do açúcar vão aumentar o que chamamos de estresse oxidativo que vão prejudicar as nossas fábricas de energia, as mitocôndrias, que “intoxicadas” não vão conseguir queimar a gordura, nem as calorias, levando a um organismo mais lento e resultando na pior resposta: ganho de peso, um presente grego! Viu só no que dá aquele bolo de aniversário da tua vizinha que teve no último final de semana?

É claro que quanto mais engordurado tiver o fígado mais prejudicado estará o nosso processo de desintoxicação, nessas condições o fígado encontrara-se inflamado, causando o que chamamos de esteatose hepática não alcoólica(EHNA), que é um tipo de hepatite que decorre por resistência a insulina, o fígado gorduroso produz mais inflamão e radicais livres e provoca ainda maior problema às mitocôndrias. O coitadinho do fígado cheio de gordura acaba não conseguindo mais proteger o organismo dos efeitos prejudiciais de outras toxinas ambientais, gerando estragos ainda maiores. Entendeu? Um simples docinho leva a uma cascata de problemas. Não que não se deva comer doces, mas o exagero… tsc, tsc, tsc

Tem gente que não entende porque a amiga (o) come quilos de chocolate e nada acontece. Genética do seu sistema de desintoxicação! Outro passo importante para a desintoxicação é livrar-se dos metais pesados, que vai depender das proteínas e enzimas específicas que se prendem a estes vilões e os colocam pra fora de casa! Também não preciso explicar que quanto mais metais pesados no organismo, mais gordinho você tende a ser!

Neste post eu quis explicar como funciona a intoxicação, nos próximos capítulos de saúde do blog vou citar as medidas para remover esses vilões do organismo e diminuir os efeitos, os passos para a desintoxicação, ficando limpinho(a) e magrinho(a)! Aguardem! Por enquanto só um alerta, antes de atacar a lata de leite condensado, pense duas vezes, não é só uma questão de engordar as laterais, você está acelerando o processo de inflamação e envelhecimento a cada segundo que o infeliz entra deslizando feliz e faceiro por sua boca… como dizia Jim Davis, o autor de Garfield: “Você é o que você come!”